Entrevistas

Archivoz
EntrevistasPortuguês
“Quando realizo uma pesquisa nos sistemas de informação, fico sempre com a ideia de que o resultado não é satisfatório.”: Entrevista a Luís Miguel Narciso, Coordenador do Arquivo Municipal de Leiria.
“Quando realizo uma pesquisa nos sistemas de informação, fico sempre com a ideia de que o resultado não é satisfatório.”: Entrevista a Luís Miguel Narciso, Coordenador do Arquivo Municipal de Leiria.

“Quando realizo uma pesquisa nos sistemas de informação, fico sempre com a ideia de que o resultado não é satisfatório.”: Entrevista a Luís Miguel Narciso, Coordenador do Arquivo Municipal de Leiria.

(Archivoz) Fale-nos um pouco do seu percurso profissional até chegar a Coordenador do Arquivo Municipal de Leiria, cargo que ocupa desde 2014. (Luís Miguel Narciso) O gosto pela História de Portugal vem dos tempos da escola, ainda hoje recordo as palavras de um...

EntrevistasPortuguês
“As ações desenvolvidas pelo ICIB/Casa do Povo têm como proposta constituir um centro de formação crítico e de resistência, não só baseado nas causas dos imigrantes judeus que a idealizaram, mas também relacionado a questões políticas e sociais brasileiras”: Entrevista a Jean Camoleze e a Thaís Silveira, respectivamente coordenador do acervo e pesquisadora do Instituto Cultural Israelita Brasileiro (ICIB), conhecido como Casa do Povo.

“As ações desenvolvidas pelo ICIB/Casa do Povo têm como proposta constituir um centro de formação crítico e de resistência, não só baseado nas causas dos imigrantes judeus que a idealizaram, mas também relacionado a questões políticas e sociais brasileiras”: Entrevista a Jean Camoleze e a Thaís Silveira, respectivamente coordenador do acervo e pesquisadora do Instituto Cultural Israelita Brasileiro (ICIB), conhecido como Casa do Povo.

(Archivoz) Jean e Thaís comentem sobre as suas trajetórias de formação e atuação junto aos arquivos e sobre seus trabalhos na Casa do Povo. (Jean Camoleze) Sou formado em História com mestrado e doutorado em Ciência da Informação. Por doze anos lecionei em escolas...

EntrevistasPortuguês
“Os desafios são muitos, mas estou convicta que a actual geração de arquivistas e as vindouras […] trarão uma crescente melhoria de preservação documental, assim como da sua inventariação e consulta”: Entrevista a Maria Paula Marçal Lourenço, Professora Auxiliar do Departamento de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
“Os desafios são muitos, mas estou convicta que a actual geração de arquivistas e as vindouras […] trarão uma crescente melhoria de preservação documental, assim como da sua inventariação e consulta”: Entrevista a Maria Paula Marçal Lourenço, Professora Auxiliar do Departamento de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

“Os desafios são muitos, mas estou convicta que a actual geração de arquivistas e as vindouras […] trarão uma crescente melhoria de preservação documental, assim como da sua inventariação e consulta”: Entrevista a Maria Paula Marçal Lourenço, Professora Auxiliar do Departamento de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

(Archivoz) Não poderia deixar de começar por destacar o seu extraordinário ao nível académico, experiência docente no Ensino Superior, orientações, júri de grau académico, publicações, comunicações, cargos de gestão académica, coordenação de projetos, distinções...

EntrevistasPortuguês
“O estudo da Sigilografia tem-se centrado no estudo do selo em si, como forma de transmissão de conhecimento, recebendo pouca atenção enquanto objeto de estudo”: Entrevista a Catarina Santos, Investigadora de Química e especialista em conservação de selos de chumbo

“O estudo da Sigilografia tem-se centrado no estudo do selo em si, como forma de transmissão de conhecimento, recebendo pouca atenção enquanto objeto de estudo”: Entrevista a Catarina Santos, Investigadora de Química e especialista em conservação de selos de chumbo

(Archivoz) Não sendo de todo da área dos arquivos, como é que uma investigadora de química veio ter a este mundo da documentação?  (Catarina Santos) A minha área de base é efetivamente a Química, embora sempre tenha tido muito gosto pela História. O estudo dos...

EntrevistasPortuguês
“Para se desenvolver a análise histórica nos campos não apenas do religioso, mas do social, da cultura e da política e da economia, em relação aos quais estes arquivos (Arquivos Religiosos) constituem fonte fundamental:” Entrevista a Rita Mendonça Leite, professora de Teologia da Universidade Católica Portuguesa
“Para se desenvolver a análise histórica nos campos não apenas do religioso, mas do social, da cultura e da política e da economia, em relação aos quais estes arquivos (Arquivos Religiosos) constituem fonte fundamental:” Entrevista a Rita Mendonça Leite, professora de Teologia da Universidade Católica Portuguesa

“Para se desenvolver a análise histórica nos campos não apenas do religioso, mas do social, da cultura e da política e da economia, em relação aos quais estes arquivos (Arquivos Religiosos) constituem fonte fundamental:” Entrevista a Rita Mendonça Leite, professora de Teologia da Universidade Católica Portuguesa

(Archivoz) A Sociedade Bíblica é um tema que, a maior parte de nós, desconhece. Em que consiste essa Sociedade, quais os seus objetivos? Rita Mendonça Leite A Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira (SBBE) foi fundada em 1804 em Londres com o objetivo exclusivo...

EntrevistasPortuguês
“Tenho expetativa que a progressiva aposta nas novas tecnologias no domínio da arquivística contribua para melhorar as estratégias de comunicação do património arquivístico”: Entrevista com Cristina Nogueira, fundadora da Culturage.

“Tenho expetativa que a progressiva aposta nas novas tecnologias no domínio da arquivística contribua para melhorar as estratégias de comunicação do património arquivístico”: Entrevista com Cristina Nogueira, fundadora da Culturage.

AV: Como despertou o seu interesse para a área dos arquivos e património cultural? CN: A minha formação académica em História implicou a frequência assídua dos arquivos. Ali, junto das fontes primárias, sentia-me mais próxima dos contextos históricos que estudava....

EntrevistasPortuguês
“Os profissionais devem aprender a investigar e a produzir conhecimento. Essa atitude científica terá um efeito significativo no seu desempenho profissional e na vida das suas instituições.”: Entrevista a Jorge Revez, Professor Auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, do Mestrado em Ciências da Documentação e Informação.
“Os profissionais devem aprender a investigar e a produzir conhecimento. Essa atitude científica terá um efeito significativo no seu desempenho profissional e na vida das suas instituições.”: Entrevista a Jorge Revez, Professor Auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, do Mestrado em Ciências da Documentação e Informação.

“Os profissionais devem aprender a investigar e a produzir conhecimento. Essa atitude científica terá um efeito significativo no seu desempenho profissional e na vida das suas instituições.”: Entrevista a Jorge Revez, Professor Auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, do Mestrado em Ciências da Documentação e Informação.

(Archivoz) Fale-nos do seu percurso formativo e profissional, até chegar a Professor Auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, nomeadamente do Mestrado em Ciências da Documentação e Informação, dando-nos conta, também de como é que nasceu o...

EntrevistasPortuguês
“A vida das obras de arte é fluída e plena de ressignificações, e é também nesse fluxo de vida da obra que o historiador de arte se posiciona, a tenta ler, descodificar e projetar o seu lugar na atualidade.”: Entrevista a Sílvia Ferreira, Investigadora integrada do Instituto de História da Arte da NOVA FCSH.

“A vida das obras de arte é fluída e plena de ressignificações, e é também nesse fluxo de vida da obra que o historiador de arte se posiciona, a tenta ler, descodificar e projetar o seu lugar na atualidade.”: Entrevista a Sílvia Ferreira, Investigadora integrada do Instituto de História da Arte da NOVA FCSH.

(Archivoz) Não poderia deixar de começar por destacar o seu notável currículo.  Fale-nos do seu percurso formativo e profissional até chegar às funções que desempenha atualmente, como Professora Convidada na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade...

EntrevistasPortuguês
“Aprender com o passado é uma condição básica em qualquer atividade humana e a Arquitectura, evidentemente, não é exceção.”: Entrevista ao Arquiteto José Franqueira Baganha, Presidente da INTBAU Portugal.
“Aprender com o passado é uma condição básica em qualquer atividade humana e a Arquitectura, evidentemente, não é exceção.”: Entrevista ao Arquiteto José Franqueira Baganha, Presidente da INTBAU Portugal.

“Aprender com o passado é uma condição básica em qualquer atividade humana e a Arquitectura, evidentemente, não é exceção.”: Entrevista ao Arquiteto José Franqueira Baganha, Presidente da INTBAU Portugal.

(Archivoz) O seu CV é notável e bastante diversificado, do ponto de vista académico, que culminou no doutoramento em Arquitetura, na Universidade do País Basco, em Espanha, em 2012, à sua experiência docente no Ensino Superior, mas também no trabalho que tem...

EntrevistasPortuguês
“Os arquivos se distinguem muito do trabalho de museus e bibliotecas. Neles, a criação de sistemas, os elementos e práticas de classificação, os instrumentos e o arranjo privilegiam os grupos e as séries e não a unidade.” : Entrevista a Marilucia Bottallo, Diretora Técnica do Instituto de Arte Contemporânea (IAC).

“Os arquivos se distinguem muito do trabalho de museus e bibliotecas. Neles, a criação de sistemas, os elementos e práticas de classificação, os instrumentos e o arranjo privilegiam os grupos e as séries e não a unidade.” : Entrevista a Marilucia Bottallo, Diretora Técnica do Instituto de Arte Contemporânea (IAC).

(Archivoz) Gostaria que contasse a respeito da sua formação multidisciplinar (História, Arte e Ciências da Informação) e carreira profissional. (Marilucia Bottallo) Sou Bacharel e Licenciada em História pela FFLCHUSP (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências...

EntrevistasPortuguês
“A informação comporta em si mesma o valor da universalidade e é um erro para o setor não retirar desse facto a plenitude das suas consequências.”: Entrevista a Nuno Mota, Diretor Regional do Arquivo e Biblioteca da Madeira.
“A informação comporta em si mesma o valor da universalidade e é um erro para o setor não retirar desse facto a plenitude das suas consequências.”: Entrevista a Nuno Mota, Diretor Regional do Arquivo e Biblioteca da Madeira.

“A informação comporta em si mesma o valor da universalidade e é um erro para o setor não retirar desse facto a plenitude das suas consequências.”: Entrevista a Nuno Mota, Diretor Regional do Arquivo e Biblioteca da Madeira.

(Archivoz) Fale-nos um pouco do seu percurso profissional e académico até chegar a diretor regional da nova Direção Regional do Arquivo e Biblioteca da Madeira. (Nuno Mota) Sou licenciado em Sociologia pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade...

EntrevistasPortuguês
“… urge o reforço do papel do arquivista ou cientista de informação na sociedade, para que esta compreenda e olhe com respeito esta profissão que assegura a disponibilidade da informação.”: Entrevista a Bernardino Castro, Diretor do Centro Português de Fotografia.

“… urge o reforço do papel do arquivista ou cientista de informação na sociedade, para que esta compreenda e olhe com respeito esta profissão que assegura a disponibilidade da informação.”: Entrevista a Bernardino Castro, Diretor do Centro Português de Fotografia.

(Archivoz) Como é que nasceu o seu interesse pelo mundo dos arquivos e o desejo de trabalhar nesta área? (Bernardino Castro) Apesar de durante o meu percurso académico ter frequentado vários arquivos com o objetivo de investigação e recolha de informação para...

Sobre a revista Archivoz

Archivoz é uma revista digital gratuita, com alcance internacional e carácter divulgativo sobre arquivística e gestão documental. Surgiu em junho de 2017 como um projeto colaborativo e voluntário de edição de conteúdos realizados por uma equipa de profissionais de todo o mundo.

O objetivo da revista consiste em ser um meio de difusão sobre esta área de conhecimento difundindo noticias, novidades, experiências e boas práticas para os leitores interessados na temática dos arquivos e da gestão de informação.

Como o Archivoz funciona

A equipa editorial Archivoz analisa a atualidade mundial para publicar entrevistas ou artigos de interesse. Também recolhe propostas diretas dos leitores que podem sugerir temas específicos através do formulário para o efeito. A revista dispõe de espaços específicos para a divulgação de projetos ou atividades promovidas por instituições (arquivos, museus, bibliotecas, etc.). Pode entrar em contacto com a equipa através do e-mail: rrii@archivozmagazine.org

Revista Archivoz e SEDIC

Ao longo do tempo, a revista tornou-se um poderoso meio informativo dentro do setor dos arquivos a partir do qual é possível aceder a opiniões e experiências de profissionais de todo o mundo, criando um espaço muito enriquecedor para a colaboração internacional.

Desde novembro de 2019, após a assinatura do acordo de colaboração com a Sociedad Espanyola de la Documentacion e Informacion Cientifica (SEDIC), a Revista Archivoz começou a ser editada em Madrid pela SEDIC> No entanto, a equipa de gestão e a equipa de edição, mantém o espírito colaborativo da revista inalterados.

Esperamos que ache interessante e participe ativamente lendo ou escrevendo na Archivoz.

Revista editada por:


Logo de Archivoz

Patrocinado por:

EXPM

Está interessado em colaborar como patrocinador da revista Archivoz?

Entre em contato conosco

CONTATE-NOS

Identidade: SEDIC - CIF: G-28706067 - Morada postal: C / RODRIGUEZ SAN PEDRO, 2 PLANTA 6, P.606 - CP 28015 - Telefone: 915 93 40 59 - Email: gestion@sedic.es Da SEDIC informamos que tratamos a informação que nos fornecem para prestar o serviço de gestão de dados dos utilizadores que comunicam com a empresa através do site. Os dados fornecidos serão conservados enquanto se mantiver a relação comercial ou durante os anos necessários para cumprir as obrigações legais. O interessado foi informado do referido tratamento, responsabilizando-se pela veracidade do mesmo e pelas modificações que sofrer no futuro. Quanto à legitimidade do tratamento, será regulado através do seu consentimento. Se desejar, pode contactar a empresa para exercer os direitos de acesso, retificação, eliminação e portabilidade dos seus dados e a limitação ou oposição ao seu tratamento. Terá o direito de retirar o consentimento dado e o direito de reclamar junto da Agência Espanhola de Proteção de Dados. As categorias de dados que são tratados correspondem a dados de identificação, endereços postais ou eletrónicos, e os dados especialmente protegidos não são tratados e a origem dos dados é do interessado ou do seu representante legal, sendo os utilizadores os grupos interessados para o efeito. Se não inserir os dados pessoais que aparecem no formulário como obrigatórios, a sua consulta não poderá ser respondida. Pode exercer os seus direitos de acesso, retificação, limitação e exclusão de dados escrevendo para gestion@sedic.es, bem como o direito de registar uma reclamação junto a uma autoridade de controle. Pode consultar a informação adicional e detalhada sobre Proteção de Dados na nossa política de privacidade.

4 + 10 =

Para assinar as publicações do Archivoz, digite seu e-mail