Notícias de interesse

No Arquivo Municipal/Casa do Infante_PORTO_PORTUGAL_”Lojas do Porto – História e Identidade”

Uma exposição que enaltece o comércio tradicional e conta histórias do que o Porto era e sempre será uma cidade viva!

Tendo como ponto de partida documentos, imagens e objetos do Arquivo Histórico Municipal do Porto, aos quais se juntam ainda objetos de alguns estabelecimentos e acervos de outras instituições, relembram-se lojas tradicionais, algumas já desaparecidas e outras ainda existentes. Destaca-se um pergaminho – carta do rei D. João I sobre os mercadores de panos (1430) está entre os vários objetos que integram esta mostra temporária, assim como uma seleção de cartazes publicitários e originais tabuletas e reclames de lojas que demonstram como, já há muitas décadas, o que hoje é tradicional dava sinais claros de arrojada modernidade criativa.

“Lojas do Porto – História e Identidade” pode ser visitada de segunda-feira a domingo entre as 10 e as 13 e entre as 14 e as 17,30 horas, até 20 de abril. Encerra aos feriados. Entrada livre.

Arquivo Municipal de Vila Nova de Gaia – Exposição A condição da Mulher e a evolução da Moda entre as duas guerras mundiais através do jornal O COMÉRCIO DO PORTO

A condição da Mulher e a evolução da Moda entre as duas guerras mundiais através do jornal O COMÉRCIO DO PORTO no Arquivo Municipal de Vila Nova de Gaia.
Esta exposição conta com uma abordagem deste periódico e incidiu sobre o levantamento e tratamento sistemático de uma secção intitulada “A Moda”, publicada semanalmente no jornal nortenho O Comércio do Porto, a partir de 29 de janeiro de 1920 e que, depois de 28 de março de 1937 assume a designação de “Da Mulher e da Moda”, passando a ser assinada por Maria Júlia [Ribeiro].
O Comércio do Porto constituiu, à data da sua suspensão (2005), o jornal mais antigo da imprensa continental (o mais antigo é o Açoriano Oriental). Esta publicação periódica, que contou com 151 anos de vida, é, atualmente, um repositório inalienável da história narrativa da cidade do Porto e da região Norte, perspetivando as interações diacrónicas entre o núcleo urbano e todo esse vasto hinterland mais ou menos rural.
Para além do destaque a este fundo documental esta exposição é um bom exemplo de como os arquivos podem contribuir para a Igualdade de Género.

13 Congresso Nacional BAD – Fundão – Portugal

Realiza-se desde o dia 24 de outubro e até dia 26 o 13º Congresso Nacional BAD (Associação Portuguesa de arquivistas, bibliotecários e documentalistas de Portugal), na cidade do Fundão: https://www.bad.pt/eventos/13congresso/

O Congresso de 2018, reúne um vasto painel de especialistas portugueses e de peritos oriundos dos principais centros de inovação europeia, debaterá os desafios e oportunidades que o futuro da ciência da informação apresenta para o país, para as comunidades locais e para os profissionais.
Conta com a participação de especialistas da Informação tais como, Jaime Melo Baptista, engenheiro civil especializado em engenharia sanitária, é Investigador-Coordenador do LNEC, Sebastian Barteleit responsável, desde 2002, pelas atividades de construção do Bundesarchiv em Berlim, David Lankes professor e Diretor da Biblioteca da Escola de Ciência e Informação, na Universidade da Carolina do Sul, Jordi Serra Serra professor e investigador da Faculdade de Biblioteconomia e Documentação da Universidade de Barcelona (UB), Frank Huysmans professor universitário no departamento de Ciências da Comunicação da Universidade de Nijmegen, Isabel García-Monge chefe da Área do Catálogo Coletivo do Património Bibliográfico, da Subdireção Geral de Coordenação de Bibliotecas – Direção Geral de Belas Artes e Bens Culturais e de Arquivos e Bibliotecas – Ministério da Educação, Cultura e Desporto e Luís Raposo, arqueólogo, membro da Comissão Nacional Portuguesa do ICOM: Presidente da Direcção entre 2009 e 2014.

O Congresso irá aprofundar as seguintes quatro linhas temáticas:
Memória, Património e Ciência Aberta
– Acesso aberto, dados abertos, ciência cidadã
– Identidade, evidências, preservação
– Conhecimento, humanidades digitais
– Indicadores, métricas
Redes, Comunidades e Literacias
– Cidadania, diálogo intercultural, inclusão
– Aprendizagem, competências digitais, métricas
– Redes de arquivos, redes de bibliotecas, redes na comunidade
Direito à Informação
– Profissão, regulação
– Proteção de dados, privacidade, partilha, armazenamento de conteúdos
– Direito ao esquecimento
– Liberdade de expressão, censura
– Direito de autor
Tecnologia e Infraestrutura
– Reutilização, padrões, reprodutibilidade (de software, de dados, de tipos de conteúdo)
– Integrações entre sistemas, mudança de ambientes (técnicos), fusão de distribuidores de conteúdos
– Software aberto, software proprietário
– Interoperabilidade, segurança da informação

Em breve as atas estarão disponíveis no site da Associação: https://www.bad.pt/noticia/category/associacao/

Mostra documental da Escola do Torne (Vila Nova de Gaia – Portugal)

Mostra documental da Escola do Torne (Vila Nova de Gaia – Portugal) – Cooperação arquivística entre o Município de Gaia e a Igreja Lusitana (comunhão anglicana: um exemplo de partilha integrada de interesse público)

A promoção e a salvaguarda dos interesses próprios das populações, designadamente, no domínio do património e cultura, constituem um dever legal a cargo dos municípios, competindo-lhes assegurar, em parceria ou não, o levantamento, classificação, administração, manutenção, recuperação e divulgação do património natural, cultural, paisagístico e urbanístico do município, assim como apoiar e comparticipar atividades de natureza cultural que se revistam de interesse para o Concelho.

O Município de Vila Nova de Gaia, ciente desta obrigação e conhecedor do elevado valor cultural e histórico que o património arquivístico da Igreja Lusitana Católica Apostólica Evangélica (ILCAE) tem para o Concelho, estabeleceu com esta instituição privada, em finais de 2016, um acordo de colaboração que se traduz numa parceria para a valorização do respetivo acervo arquivístico.

No âmbito desta parceria, e inseridos no Plano Estratégico da ILCAE de 2018, realiza-se hoje dia 20 de setembro de 2018 uma exposição histórico-documental intitulada “Torne – um lugar na história (1868-2018)”.  Esta exposição destacará os principais aspetos do serviço educativo e social que esta instituição vem prestando à população de Gaia desde os tempos do seu fundador Diogo Cassels (1844-1923).

As instituições públicas têm vindo nos últimos anos a sensibilizar os organismos privados que dispõem de arquivos de interesse relevante para a necessidade de procederem à respetiva divulgação, não apenas enquanto instrumentos de promoção cultural, mas também enquanto garantes de valores democráticos. Assim, o objetivo deste acordo foi a valorização arquivística do espólio da ILCAE, cuja natureza intrínseca foi considerada de “interesse público”, na medida em que a documentação que possui viabiliza o estudo e conhecimento da história e identidade da região. Daqui decorre o cariz desta iniciativa que poderá servir como exemplo para outras instituições partilharem o seu saber, o seu património arquivístico que é de todos e para todos!